quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Vitoria suada na taça

















Rosairense: Nuno Patrício, Nuno Guerreiro, Hugo, Nuno Costa e Dado; Jorginho (Juelson), Zé Reis, Leal; Carlinhos, Daniel Antão (Aguida) e Barradas (Filipe).

O Rosairense dominou claramente a primeira parte, com a equipa da Cuba a jogar muito recuada, a defender com 11 homens atrás da linha do seu meio campo. O que tornava a entrada da equipa do Rosário na área contrária mais difícil. O Rosairense dispôs de várias oportunidades para marcar, com dois lances de bola parada, com a bola a passar junto poste.
Adivinhava-se o golo do Rosairense a qualquer momento, visto que o jogo tinha sentido único, a baliza do Sporting de Cuba. O mesmo viria a acontecer, depois de um lance de alguma confusão na área visitante, por Carlinhos, que com alguma oportunidade, entre dois adversários, consegue rematar á baliza, e fazer o 1-0. Esperava-se que depois de consentir o primeiro golo, a equipa do cuba, alterasse a sua estratégia, e passa-se ao ataque, visto que não conseguiu produzir nenhuma oportunidade de golo, mas não, continuou a adoptar a mesma atitude.
Na segunda parte, viu-se finalmente um Cuba mais atrevido, e a mostrar o porquê de estar em primeiro lugar no campeonato, e de forma invicta. Momentos de bom futebol, com oportunidades de um lado e de outro, com grande perigo, mas ambas as equipas a falhar na finalização.
-Num momento de desconcentração, dentro de área, Dado ao tentar cortar a bola, acerta apenas no adversário,  o Arbitro André Baltasar, assina penalti, claríssono. O Rosairense, respondeu da melhor maneira, e continuou á procura da vantagem desperdiçando inúmeras oportunidades de se meter em vantagem no marcador, por parte de Daniel, Barradas e Carlinhos. O  golo da vitória( 2-1 ) surge, depois de uma excelente jogada colectiva, na qual surge Daniel pelo lado direito do ataque, faz cruzamento para a área, onde aparece Barradas a antecipar-se ao defesa, e faz o golo.
 Até ao fim, e sem nada a perder o Cuba arriscou tudo, e criou algumas jogadas de perigo, mas sem acertar na baliza de Nuno Patrício, mas a rematar muito próximo. O Cuba , se tem conseguido o empate não seria estranho, assim como não seria estranho se o Rosairense tivesse marcado mais 1 ou 2 golos.
Excelente partida de futebol, assim como uma excelente arbitragem.

Sem comentários:

Publicar um comentário